Boa noite, Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
CAFÉ IRRIGADO
Dia de campo sobre café clonal mostra boa produtividade em Rondolândia
A expectativa do produtor é colher nesta safra mais de 300 sacas de café, com uma produtividade média de 125 sacas por hectare.
10/04/2019 - 17h02 - Fonte: Rosana Persona | Empaer-MT

 

A intenção do produtor é aumentar a área plantada e a produção - Foto por: Extensionista | Empaer

A Secretaria de Agricultura Familiar (Seaf) e a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) realizam nesta quinta-feira (11.04) o Dia de Campo sobre Café Clonal, no município de Rondolândia (1.100 km a Noroeste de Cuiabá), na área do produtor rural Genivaldo Rodrigues Ferreira. Durante o evento, os participantes irão conhecer uma área de 2,4 hectares com o plantio de café clonal e os resultados com a cultura, que pode chegar nesta safra a uma produção de 300 sacas, com uma produtividade média de 125 sacas por hectare. A expectativa dos organizadores é de recepcionar mais de 100 produtores rurais.

O técnico em agropecuária da Empaer, Tiago Lagares destaca que o Dia de Campo vai abordar informações sobre podas de formação e produção, manejo da adubação e irrigação, colheita e qualidade do café, crédito rural e outros. Os visitantes percorrerão as estações e vão conferir in loco o que é uma planta clonada de outra planta adulta que apresenta bom potencial genético, com produção mais rápida e de melhor qualidade do grão.

O produtor Genivaldo trabalha com a cultura do café na região desde ano de 1991, e conta que começou com o plantio do café comum na propriedade do seu pai, Jair da Costa Ferreira, em companhia de seus quatro irmãos. O cultivo era feito numa área de 18 hectares e a produtividade naquela época não chegava a 20 sacas por hectares. “Hoje a lavoura clonal é irrigada por aspersão, com uma turbina hidráulica que não utiliza energia elétrica. Esse sistema produz o ano todo”, enfatiza Ferreira.

O município possui uma área de 240 hectares de café

Conforme o produtor Genivaldo, a intenção é aumentar a área plantada e aprender mais sobre as técnicas de manejo para melhorar a lavoura e aumentar a produção. O grande desafio, segundo Ferreira é o preço que está baixo. Essa semana no município foi comercializada por R$ 260,00 a saca de 60 quilos. Tiago fala que desde 2015 atende a propriedade e tem repassado orientações sobre adubação, manejo da irrigação, controle de pragas e doenças e todo o manejo necessário para a boa condução da lavoura.

O município possui uma área de 240 hectares de café, com aproximadamente 115 produtores, com uma produtividade média entre 16 e 22 sacas por hectare. Para alavancar a cultura do café a secretaria municipal de agricultura está distribuindo mudas e incentivando o plantio com objetivo de estimular a geração de renda e emprego.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) e a Empaer, com apoio das prefeituras, está implantando em Mato Grosso a produção de café clonal, uma técnica desenvolvida pela Embrapa de Rondônia. A técnica consiste na reprodução da planta de café conservando todas as características produtivas, como resistência ou tolerância ao ataque de pragas e doenças, o que facilita a formação de lavouras homogêneas de alta produtividade.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
VOCÊ É A FAVOR DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2019 ::