Boa tarde, Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017
CÁCERES
Feira Tecnológica reuniu mais de 2.200 pessoas
O conjunto das atividades desenvolvidas na propriedade segue princípios que garantem a sustentabilidade econômica da propriedade com produção básica para o sustento da família.
02/10/2017 - 14h23 - Fonte: Empaer/MT

Mais de 2.200 pessoas de 60 municípios, entre produtores rurais, estudantes, autoridades, pesquisadores e técnicos participaram da Feira Tecnológica da Agricultura Familiar, no Centro Regional de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (CRPTT) da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), no município de Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá).

Foram apresentadas novas tecnologias e serviços voltados para a agricultura familiar com demonstração em Unidades Didáticas e Unidades Demonstrativas. O evento aconteceu entre os dias 27 a 29 de setembro.

Durante a Feira os participantes percorreram sete Unidades Didáticas de mandioca, maracujá, banana, abacaxi, pecuária de leite, casa do agricultor e piscicultura. E ainda as Unidades Demonstrativas com informações sobre hidroponia, bem-estar social e turismo, produção de flores, apicultura, alimentos biofortificados, laboratórios da Empaer e resultados de pesquisa.

O evento comemorou os 53 anos de atividade da Empaer  e trouxe para  o produtor rural tecnologias que diversificam e melhoram a sua produção, promovendo o desenvolvimento sustentável da pequena propriedade. O presidente da Empaer, Layr Mota da Silva, fala que foi realizado para o produtor rural a maior Feira Tecnológica do Estado de Mato Grosso. “Esse é o maior presente que podemos oferecer aos nossos clientes com a finalidade de incentivar a produção e geração de lucro e renda para a agricultura familiar”, enfatiza.

O produtor rural Marilson de Oliveira, do município de Cáceres, possui criação de Azeninos (jumentos) e pecuária de leite, numa área de 25 hectares que fica localizada ao lado do Centro de Pesquisa da Empaer. Ele destaca que mora na região há mais de 30 anos e está muito feliz com a Feira que trouxe  inovações com a casa sustentável para o produtor, pecuária de leite, pastejo rotacionado e tantas outras tecnologias. “Este Centro tem uma área altamente produtiva e se transformou em sala de aula para muitos produtores. Espero que seja sempre assim, cheio de eventos”, declara Oliveira.

A produtora rural Florinda Neves dos Santos e a sua filha, Graciela Rejane, do município de Rondonópolis, produzem melancia e hortaliças numa área de 20 hectares. A produtora Florinda ficou satisfeita com as informações dos técnicos e pesquisadores e se encantou com as flores tropicais apresentadas nas Unidades Demonstrativas.

 A presidente da Associação das Mulheres Indígenas Maria Auxiliadora Etogiwudo, do município de General Carneiro, a vice presidente Leonida Kurireudo e a tesoureira Vitalina Toriedo , da Aldeia Meruri, participaram da Feira. Maria Auxiliadora destacou o cultivo da mandioca que é uma atividade explorada na aldeia e deu ênfase a produção de hortaliças. A Associação implantou uma horta para atender a comunidade indígena e comercializar os excedentes. “Gostei de tudo que vi e tenho vontade de implantar na aldeia”.

Sustentabilidade

A casa do agricultor familiar mostrou alternativas simples, práticas de baixo custo com foco na sustentabilidade e promoção social. O interior da casa é dividido em sala, quartos e cozinha. O destaque é para cozinha que possui fogão a lenha com um sistema que aquece a água, forno de 200 litros fabricado com tambor de metal e um filtro de areia para purificar a água, tornando-a própria para o consumo.

Na parte externa da casa foi construído o banheiro, onde os resíduos e afluentes são destinados para uma fossa negra. No quintal, há um biodigestor para a produção do gás a ser usado no fogão da cozinha com o aproveitamento do esterco produzido pelo gado. Ao redor da casa existe também o cultivo diversificado de frutas, olerícolas, raízes, forrageiras para alimentação do gado, criação de pequenos animais e outros. O conjunto das atividades desenvolvidas na propriedade segue princípios que garantem a sustentabilidade econômica da propriedade com produção básica para o sustento da família.

O diretor de Pesquisa da Empaer, Antonimar Marinho dos Santos, ressaltou que o evento atingiu o objetivo, que era passar para a sociedade o trabalho cientifico executado pelos pesquisadores e técnicos em beneficio da agricultura familiar. “Com a finalidade de melhorar a vida da família rural queremos incentivar a produção que garanta renda e evite a evasão da zona rural”, destacou Marinho.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Você é favorável a pena de morte?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2017 ::