Boa noite, Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018
4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
“Mais de 50% das profissões de um futuro muito próximo ainda não são conhecidas”
"Quem tem a percepção no sentido de se especializar, sairá na frente”, diz especialista
05/05/2018 - 13h40 - Fonte: Assessoria

 

Estamos participando, aos poucos e sem perceber, da transição para uma realidade altamente tecnológica e conectada – em que a previsão é de que as máquinas irão literalmente ocupar o lugar de humanos e as fronteiras territoriais não importarão mais. Tanto que as maiores empresas do mundo estão sendo pensadas de formas mais complexas por seus gestores.

O Uber, por exemplo, é a maior empresa de transporte do mundo sem ter o vínculo com carros ou motoristas. Da mesma forma, o Airbnb se consagra como o maior serviço de hospedagem internacional, mesmo sem ter a posse de nenhum hotel.

Esses são alguns sinais da Quarta Revolução Industrial, prevista para acontecer entre 2030 e 2040, mas que já podem ser sentidos nas relações interpessoais e profissionais dos dias hoje.

Diante deste período de mudanças e transformações, que acontecem em larga escala e a toda velocidade, os profissionais expostos à volatilidade do mercado de trabalho encontram nas especializações uma forma de estarem atualizados e preparados para as novas possibilidades do ramo empresarial.

DESAFIOS

Conforme explica a gerente de projetos da Fundação Dom Cabral (FDC), a professora Andréa Guerra, a sensação é de medo entre os profissionais. Eles têm receio de que, rapidamente, possam deixar de serem considerados competentes e, consequentemente, alheios ao mercado.

“Mais de 50% das profissões de um futuro muito próximo ainda não são conhecidas. Isso é assustador. Vivemos em um período de transição em que o tradicional e o inovador vão conviver, mas chegará um momento em que o tradicional ficará para trás. Quem tem a percepção no sentido de se especializar, sairá na frente”, explica.

Neste viés, Andréa reitera que a especialização não é só uma necessidade do mercado, mas também uma vantagem pessoal, pois é um programa que oportuniza uma mudança de patamar profissional.

“Por mais que reduza o contingente em razão da automação, sempre irão existir pessoas. E o mercado busca profissionais preparados, com boas ideias, que tenham a capacidade de trabalhar a transformação de forma menos conflitante e que tenham habilidade para lidar com pessoas – competência que nenhuma máquina poderá substituir”, pondera.

FUNDAÇÃO DOM CABRAL

Considerada a 12ª melhor escola de negócios do mundo em 2017 pelo jornal britânico Financial Times, a Fundação Dom Cabral foi criada em Belo Horizonte em 1976 e tem como missão a educação executiva, com atividades no Brasil e no exterior. Em Mato Grosso seu associado é o Grupo Valure, consultoria em Gestão e Liderança há quase 20 anos.

Entre as atividades desenvolvidas pelo FDC no Estado consta o programa de especialização em Gestão de Negócios e o programa Parceiros para a Excelência (PAEX). Mais informações pelo site http://www.grupovalure.com.br/ ou pelo telefone (65) 3318-2600.

 

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Em sua opinião estamos em um momento de crise financeira ou crise politica no Brasil?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::