Boa noite, Quinta-Feira, 17 de Agosto de 2017
SORRISO
MPE cria projeto para estimular jovens a estudarem e fugirem da criminalidade
09/06/2017 - 15h44 - Fonte: MPE- MT

É tarde de segunda-feira, em uma escola pública do município de Sorriso (412 km de Cuiabá). Cerca de 60 alunos começam a entrar na sala de aula para assistir a palestra que será proferida pelo promotor de Justiça da Infância e Juventude, Márcio  Florestan Berestinas. Os jovens, com faixa etária entre 12 e 14 anos, fazem algazarra, falam alto, brincam, empurram carteiras e contam todo tipo de piada. Enquanto isso, a equipe da promotoria organiza o projetor na tentativa de iniciar a palestra. Tudo pronto. O promotor começa a falar e uma realidade assustadora se revela: a falta de educação e a indisciplina dos estudantes. Ninguém presta atenção, a gritaria toma conta da sala de aula. Cerca de 90% dos alunos ignoram o palestrante.

O que fazer diante desta cena que dezenas de professores se deparam diariamente em salas de aula? Como impor limites a estes jovens que desconhecem a palavra respeito? Onde está o papel dos pais na educação dos filhos? Existe saída para este problema que é cada vez maior na sociedade moderna, independente da classe social? E no meio do caos o promotor interrompe a palestra e intervém.

Com a experiência de quem é acostumado a lidar com jovens infratores e usando exemplos de vida, o promotor consegue controlar a turma e fazer a palestra a que se propôs. Mesmo com pulso firme foi difícil chegar ao fim. Encerrada a fala ele pediu para a diretora (acuada em um canto da sala) a lista de presença. Todos os pais serão chamados na promotoria para conversar sobre os filhos. Foi exatamente de conversas assim, com os pais de dezenas de jovens que chegam até o promotor reclamando da indisciplina dos filhos, que nasceu o projeto “Educar é dar Limites”, coordenado pelo promotor de Justiça Márcio Florestan e sua equipe e que teve início este ano em Sorriso.

“No atendimento diário na promotoria é cada vez maior o número de pais reclamando da falta de disciplina dos filhos. Muitos vão parar no mundo do crime, porque estes pais perderam o controle da situação e não sabem mais o que fazer com estes jovens e adolescentes. Vi que era necessário fazer alguma coisa, antes destes jovens chegarem até a promotoria e começamos desta forma o projeto ´Educar é dar limites’. Percebi que a maioria dos pais desconhece métodos que podem usar em casa para educar os filhos, ainda na primeira infância (até os 7 anos de idade)”.

O projeto é amplo e dinâmico. Para atingir adolescentes, pais, professores e a comunidade em geral, o promotor dividiu o projeto em frentes de atuação. Uma delas consiste na realização de palestras. Um sábado por mês o foco são jovens em conflito com a lei. Às terças e sextas-feiras a palestra é voltada para os demais alunos, a maioria com relatos de indisciplina. As palestras para o primeiro grupo são sempre na sede da promotoria, por se tratar de jovens infratores. Já para o segundo grupo a palestra pode ser tanto na promotoria, quanto nas escolas. A média é de 500 alunos atendidos por mês.

Por meio de vídeos contando a história real de pessoas simples que estudando conseguiram superar dificuldades e vencer na vida, o promotor espera sensibilizar estes jovens sobre a importância dos estudos, para que possam encontrar outros caminhos, que não seja o mundo do crime, as drogas e a perda prematura da vida.
 
“Nossa intenção é mostrar a estes jovens que o caminho para que eles possam superar as dificuldades é o caminho do estudo, da busca pela aquisição de conhecimento, tendo uma vida com disciplina, com regras, com limites, para que eles possam alcançar a felicidade, realizar seus sonhos e viver bem no seio da família”, destacou o promotor.

Após as palestras os alunos terão acesso à outra atividade chamada “Filmes que educam”. “São filmes selecionados pela equipe da promotoria e que trazem exemplos de pessoas que conseguiram superar as dificuldades se dedicando ao estudo, pessoas que priorizaram viver com ética, respeitando os valores da nossa sociedade, respeitando a lei, vivendo como cidadão de bem. Ao final eles terão que fazer uma redação sobre o filme assistido”, explica o promotor. (Confira a lista dos filmes ao final da matéria)

Além das palestras, o promotor está lendo o livro “A Arte de Dar Limites”, do psicólogo Luiz Hanns. O objetivo da leitura é resumir a obra para transformá-la em uma palestra. Ele também servirá de roteiro para uma peça de teatro que será encenada nas escolas para alunos, pais e professores. A peça está sendo formatada com o Departamento de Cultura do município de Sorriso.

A obra de Hanns traz lições sobre um dos maiores desafios na vida de um pai: educar os filhos. Grande parte da nova geração de crianças e adolescentes tem dificuldade em aceitar que existem limites pessoais e coletivos. Valendo-se de exemplos e de pesquisas internacionais, o psicólogo aponta as razões dessa dificuldade e propõe um modo inovador de educar: a educação pensada. Diferente da tradicional educação corretiva, a educação pensada - apresentada neste livro através de histórias reais e de exercícios para pais e filhos praticarem em casa - introduz um sistema maior de limites e estímulos que permite obter mudanças profundas de atitude.

“Queremos por meio de palestras, a peça teatral e até de um resumo desta obra repassar este conhecimento para os pais, para que eles tenham acesso a métodos que a psicologia moderna indica que podem ser utilizados para a educação dos filhos no seio da família. Os filhos precisam receber em casa educação sobre valores morais, regras que devem ser cumpridas, evitando, assim, que se tornem adolescentes infratores, usuários de drogas, maus alunos, entre outros problemas”, relata o promotor de Justiça.

Do outro lado, eles – Mas e estes jovens e adolescentes o que acham destas palestras? Alguns demonstram interesse, outros não. Os estudantes da Escola Vila Bela, por exemplo, que foram à sede da promotoria assistir a palestra ficaram concentrados nas histórias de superação retratadas em um mini-documentário apresentado pelo promotor, onde mostra histórias reais, narradas por pessoas que apesar das dificuldades venceram na vida.

“Eu gostei muito da palestra e dos vídeos. O que mais me chamou a atenção foi do estudante de Tangará da Serra que morava no sítio e passou em 4 faculdades públicas para Medicina. Meu sonho é ser médico, ele é um exemplo para mim”, garantiu Isaac Vieira, 12 anos, estudante do 6º ano.

O estudante Alessandro dos Santos Muller, 12 anos, também aprovou a iniciativa. “Eu aprendi que se estudar bastante posso realizar meus sonhos. Além de ir na escola tenho que estudar mais três horas em casa todos os dias. Se eu fizer isso, vou me preparar bem para fazer uma faculdade. Ainda vai sobrar tempo para sair, brincar, jogar e ficar com os amigos”.

Conforme o promotor, o projeto não tem data para ser concluído. “Trabalhar com educação e motivação é uma constante. Não podemos ficar de braços cruzados esperando estes jovens chegarem na promotoria já envolvidos na criminalidade. É preciso fazer um trabalho lá na ponta, para evitar que eles venham parar aqui. Muitos são resistentes, não prestam atenção nas palestras, nos desafiam, mas eu não vou desistir”, garantiu Florestan.
 
Filmes que educam:

À procura da felicidade

Homens de honra

Mãos Talentosas – A história de bem Carson

Patch Adams – O amor é contagioso

Meu Mestre, Minha Vida (Lean on Me)

O Diário de um Adolescente

Coach Carther – Treino para a Vida

Nenhum “a” menos

Comente através do facebook:
ENQUETE »
O que você pensa da proposta Reforma da Previdência ?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2017 ::