Bom dia, Domingo, 20 de Maio de 2018
BRASIL
Interventor quer atacar corrupção na PM e auditar segurança
Equipe de Braga Netto se debruça sobre índices de criminalidade do Estado para cobrar resultado dos oficiais superiores dos batalhões
28/02/2018 - 15h47 - Fonte: veja

O interventor federal na segurança do Rio, general Walter Souza Braga Netto, planeja apertar o cerco a oficiais da PM responsáveis por batalhões que têm casos identificados de corrupção policial ou altos índices de criminalidade. Tenentes-coronéis da PM poderão ser trocados se não entregarem resultados esperados. E haverá auditoria em diversos setores da segurança estadual, como logística, administração e finanças, planejamento e operações.

O interventor do Estado do Rio de Janeiro, Walter Braga Netto, concede entrevista coletiva - 27/02/2018 (Carl de Souza/AFP)

Essas são algumas das estratégias que vêm sendo delineadas pelo interventor, que, oficialmente, não detalha quais metas pretende atingir. Nesta terça-feira, em sua primeira entrevista coletiva no Rio, Braga Netto afirmou apenas que espera reduzir a criminalidade em todo o Estado e fortalecer as corregedorias para combater a corrupção policial. “Nossa intenção é fortalecer as corregedorias e tomar providências para que o bom profissional seja valorizado e o mau, penalizado”, disse. Procurada pela reportagem, a PM não se manifestou.

Neste primeiro momento, a equipe de Braga Netto se debruça sobre índices de criminalidade do Estado. Quer, com base nas “manchas criminais” (mapas que apresentam áreas com mais incidência de crimes), cobrar resultados dos oficiais superiores dos batalhões. Os militares entendem que é preciso reforçar a hierarquia e a disciplina na PM. Segundo contou um oficial do Exército, a mensagem é: “não rezou a cartilha, será substituído”.

O chefe do gabinete de intervenção, general Mauro Sinott, disse que os dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), responsável pelas estatísticas oficiais e que têm como origem os registros da Polícia Civil, são auditados e confiáveis. Braga Netto chancelou: “Com relação à transparência, vocês não precisam se preocupar, porque o sistema será transparente. O instituto vai continuar e aprimorar seu trabalho, os resultados continuarão sendo divulgados”.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Em sua opinião estamos em um momento de crise financeira ou crise politica no Brasil?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::