Boa noite, Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
INTOLERÂNCIA POLÍTICA
Eleitor de MT relata agressão em mercado
Com o pleito eleitoral em curso e uma polarização política que divide o país entre conservadores e progressistas, se tornaram cada vez mais comuns os casos em que as divergências ideológicas
16/10/2018 - 13h48 - Fonte: GD gazeta digital

"Você tem cara de quem vota no 13", disse um eleitor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) ao contador Jean Douglas Kanashiro, de 38 anos, minutos antes de agredi-lo, em um supermercado de Cuiabá, no dia 7 de outubro, 1º turno das eleições.

Com o pleito eleitoral em curso e uma polarização política que divide o país entre conservadores e progressistas, se tornaram cada vez mais comuns os casos em que as divergências ideológicas resultam em insultos e, até mesmo, agressões. 

No caso de Jean, um homem que vestia a camiseta da seleção brasileira pegou seu carrinho de compras no supermercado. O contador relata que foi tirar satisfações e, antes de que dissesse qualquer coisa, ouviu a frase que indagava sobre o seu posicionamento eleitoral. 

"Foi uma coisa muito estranha, eu estava chegando no mercado logo depois que votei, não estava caracterizado, não estava com camisa de partido. Ele me deu um empurrão, meu celular caiu no chão e ficou todo quebrado", contou ao GD . 

Logo vieram os seguranças do supermercado, que acalmaram os ânimos. Conforme Jean, o homem não identificado saiu da unidade batendo em prateleiras e derrubando alguns produtos, acompanhado por sua esposa e uma criança de colo. 

Já o dia 9 de outubro, ainda em Cuiabá, uma estudante geologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) fez uma publicação em suas redes sociais em que relatou um caso de ameaça. No trânsito, um homem teria dito a ela que quando o Bolsonaro ganhasse  ele poderia andar com uma pistola na cintura para lhe dar "um monte de tiros na cara". 

"Estou triste e com medo pelo rumo que as coisas estão tomando. Se ele se eleger todas as mulheres que não performam feminilidade como eu correrão risco ao sair de casa", disse em sua publicação. 

Em nenhum dos casos houve registro de boletim de ocorrência. 

Âmbito Nacional 

Em Porto Alegre, uma jovem que utilizada a camiseta com a frase "Ele não" afirmou ter sido abordada e agredida por dois homens , que teriam utilizado um canivete para desenhar uma suástica, que simboliza o nazismo, em sua barriga. 

Conforme noticiou os sites nacionais, em Salvador o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Moa do Katendê foi esfaqueado 12 vezes e morto após dizer a Paulo Sérgio Ferreira de Santana que era contra o presidenciável.

Comente através do facebook:
ENQUETE »

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::