Boa tarde, Domingo, 16 de Dezembro de 2018
CONTAS NO VERMELHO
Mendes apresenta LOA com rombo de R$ 1,5 bi e pede apoio da AL
Governador eleito se reuniu com deputados estaduais e apresentou os números previstos para 2019
05/12/2018 - 15h03 - Fonte: Midia News

 

O governador eleito de Mato Grosso, Mauro Mendes, que esteve na Assembleia nesta quarta-feira

Em uma reunião de quase duas horas na manhã desta quarta-feira (05), o governador eleito Mauro Mendes (DEM) apresentou a 18 deputados estaduais o cenário das finanças do Estado para 2019.

O democrata afirmou que a Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano será negativa, com um “rombo” de R$ 1,58 bilhão. Ele disse ter pedido que a peça seja realística, ao contrário de anos anteriores.

“Apresentei a eles uma prévia do orçamento real, verdadeiro, para ser encaminhado na próxima semana, da Lei Orçamentária de 2019, que aponta para um déficit já previsto e programado para 2019 de R$ 1,58 bilhão. Se todas as receitas acontecerem como estão programadas e se todas as despesas acontecerem como estão programadas, vai faltar R$ 1,58 bilhão”, explicou.

Veja o resultado orçamentário projetado para 2019:

“Ou seja, muita gente vai ficar sem receber, porque não tem dinheiro em caixa para pagar. Essa é a dura realidade de Mato Grosso neste momento. E isso todos conhecem, porque talvez existam centenas, talvez milhares, de fornecedores sem receber, atrasos aos Poderes registrados há três anos e atrasos aos Municípios”, disse.

Segundo Mendes, o governador Pedro Taques (PSDB) deve deixar uma dívida para sua gestão de R$ 1,8 bilhão, que acarretam no “rombo” do próximo ano. Ele disse que seu objetivo é ou cortar o total do valor em despesas, ou aumentar metade disso em receita.

Entre as medidas de cortes, ainda, estão em hipótese um plano de demissão voluntária e a extinção com demissão de empresas públicas de direito privado.

“Temos que economizar para o ano que vem R$ 1,5 bilhão. Ou economizar, por exemplo, R$ 750 milhões e subir a arrecadação além do previsto em R$ 750 milhões para atingir equilíbrio. Vamos fazer isso cortando”, afirmou.

“Já anunciamos que vamos reduzir de 24 para 15 secretarias. Anunciamos a demissão de mais de 3 mil cargos, entre comissionados, contratados e funções gratificadas. E estamos estudando os cortes nas 20 empresas públicas”, disse.

Apoio e trabalho em janeiro

Mendes afirmou ter pedido a compreensão dos parlamentares para realidade do Estado. Os deputados devem votar a LOA e pode apresentar modificações. Uma delas é o pedido de aumento de duodécimo aos poderes.

“Mostrei aos deputados claramente essa realidade. Era importante nós nivelarmos com eles. A verdade é que todos em Mato Grosso precisam compreender que existe uma grave crise. Senão, a gente fica falando e parece que a maioria não entende. O servidor precisa entender, o empresário precisa entender, os Poderes, o cidadão precisam entender”, disse.

“Porque neste cenário, todos estão perdendo, porque é o jogo do perde-perde. Sem dinheiro, o Estado afugenta investimento, não cumpre seu papel. Hoje tem uma tributação que cria em Mato Grosso um clima hostil. Temos que mudar essa lógica e dinâmica e é papel de todos nós que vivemos e queremos continuar vivendo em Mato Grosso”, afirmou.

Por fim, disse pediu aos parlamentares para trabalharem em janeiro, mês geralmente destinado ao recesso. Isso porque, tanto a LOA quanto outras medidas devem ser enviadas somente no final deste ano.

“Provavelmente, os deputados precisarão trabalhar em janeiro, sim. O mandato deles vá até 31 de janeiro. Isso é legal e regulamentar. Temos muitas medidas, principalmente da reforma administrativa que ainda estão sendo elaboradas”, completou.

Veja o resultado orçamentário projetado para 2019:

Comente através do facebook:
ENQUETE »

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::