Boa tarde, Domingo, 22 de Setembro de 2019
REPASSES DA SAÚDE
Deputados são contra judicialização de cobrança e pedem maturidade de Mauro e Emanuel
A notificação extrajudicial cobrando parte do valor foi feita na última sexta-feira (30), com prazo de 72 horas para ser cumprida.
06/09/2019 - 07h34 - Fonte: Olhar direto

Deputados estaduais, tanto base como oposição ao Governo, criticaram medida anunciada pelo secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, que notificou o Estado para que pague R$ 68 milhões para a Saúde da Capital. Os parlamentares reconheceram o direito do município em receber os valores, provenientes de dívida herdada da gestão de Pedro Taques (PSDB), mas pediram que a situação não seja pessoalizada, em razão da crise na relação entre Emanuel Pinheiro (MDB) e Mauro Mendes (DEM).

“É uma maneira [de promover retaliação política], porque o Governo está fazendo de tudo para cumprir as dividas deixadas pelo Governo passado, que são mais de R$ 600 milhões só na área da Saúde. Não é só Cuiabá, são vários municípios. Se ele [Emanuel] quer fazer realmente, é um direito dele recorrer à Justiça, mas ele tem que pensar também que isso irá refletir em outros municípios. Cuiabá não foi o único prejudicado pela gestão do Governo passado que não foi eficiente”, defendeu Dilmar Dal’Bosco (DEM), líder de Mendes na Assembleia Legislativa.

Na semana passada Emanuel cobrou publicamente o pagamento de R$ 142 milhões, uma parte relativa a serviços pactuados ainda na gestão do ex-governador Pedro Taques e que não foram repassados para Cuiabá e a outra parte referente aos R$ 82 milhões da emenda parlamentar para equipar o Hospital Municipal de Cuiabá.

A notificação extrajudicial cobrando parte do valor foi feita na última sexta-feira (30), com prazo de 72 horas para ser cumprida. De acordo com Possas, a dívida será judicializada, caso o Governo não faça alguma proposta de pagamento dentro do prazo estipulado.

Emanuel nega que a cobrança tenha cunho político e sustenta que não precisar ser “amiguinho” de Mauro para que o Governo cumpra com seus deveres. O relacionamento entre os dois tem sido conturbado desde a eleição passada, quando Emanuel, mesmo sendo de um partido aliado à candidatura de Mauro, manifestou apoio ao então candidato Wellington Fagundes (PL).

O deputado Lúdio Cabral (PT) pediu maturidade de ambos. “A Prefeitura tem o direito de receber esses recursos e o Estado tem uma divida com o município. A melhor solução pra isso é dialogo e entendimento. O prefeito e o governador são bem maduros e têm condições de sentar à mesa e encontrar uma equação para isso sem que haja necessidade de judicialização. É o que eu espero que aconteça, precisa de maturidade dos dois. eles precisam agir com a responsabilidade que eles têm na condição de chefes de Estado”.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
VOCÊ É A FAVOR DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2019 ::