Boa noite, Domingo, 18 de Agosto de 2019
MERCADO EDITORIAL
Volta às aulas fraco faz desempenho de livrarias cair, aponta GfK
Relatório realizado pelo instituto de pesquisa a pedido da Associação Nacional de Livrarias aponta que faturamento do varejo de livros caiu 25,4% em janeiro. Categoria de Didáticos teve queda de 39%.
11/03/2019 - 16h39 - Fonte: publishnews

A GfK e a Associação Nacional de Livrarias (ANL) publicaram o primeiro relatório de 2019 que acompanha a evolução do mercado livreiro no país. O documento analisa o intervalo que vai de 1º de janeiro a 4 de fevereiro. Em comparação com igual período de 2018, as vendas em livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento monitorados pelo instituto de pesquisa apresentaram queda significativa de 24,9% em volume e de 25,4% em faturamento. Em números absolutos, foram vendidos, em janeiro do ano corrente, 4,9 milhões de exemplares, o que redundou em faturamento de R$ 258 milhões. No ano anterior, esses índices eram respectivamente 6,5 milhões de unidades e R$ 345 milhões.

O destaque vai para os livros didáticos, como não poderia deixar de ser. O segmento, apesar do movimento sazonal de volta às aulas, apresentou queda de 39% na comparação com 2018. Aliás, os dois únicos segmentos que apresentaram crescimento pela análise da GfK foram Autoajuda (44%) e Administração / Economia (18%). Os demais estão em queda livre.

O relatório GfK/ANL existe há exatamente um ano. Na primeira edição do documento, Bernardo Gurbanov, presidente da ANL, comemorava o crescimento (na comparação com 2017) dessa categoria Didáticos. Disse ele na época ao PublishNews: “Muitas editoras descontinuaram os canais de vendas diretas de livros didáticos em 2017 e essas vendas caíram nas livrarias. É um fenômeno que precisa ser mais bem-analisado, mas nos parece ser uma boa notícia”. Com a recuperação judicial das duas maiores livrarias do País, as gigantes dos livros didáticos parecem ter tirado o time de campo novamente. Voltamos a falar com Gurbanov e agora, ele defende que a prática das editoras desse segmento é predatória. “A venda direta ao público por parte das editoras de livros didáticos com descontos de até 25% sobre o preço de capa nos parece uma atitude desleal e atentatória contra o ecossistema do livro. Para ser mais claro, essas editoras outorgam 28% de desconto às livrarias. Isso quer dizer que condenam o livreiro a perder seu cliente para o próprio fornecedor", disse indignado.

O canal Livrarias foi o que mais sentiu o tombo. Em comparação com 2018, a queda do faturamento foi de 28,5%. Enquanto que os outros canais (supermercados e lojas de autoatendimento) apresentaram crescimento de 10,5%.

Outro ponto avaliado pela GfK é o preço médio do livro ao consumidor final que apresentou ligeira queda de 0,6% quando comprado com o mesmo mês de 2018. O preço médio do livro, de acordo com o instituto de pesquisa foi de R$ 52,70 em 2018 para R$ 52,40, agora em 2018.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
VOCÊ É A FAVOR DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2019 ::