Bom dia, Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017
MERCADO EDITORIAL
‘50% de desconto não é favor’
Em 2018, secretário de Cultura de SP diz que vai dobrar a compra de livros para as bibliotecas da capital paulista negociando direto com as editoras, sem passar pelos distribuidores
21/11/2017 - 15h22 - Fonte: publishnews

O Estadão trouxe, no blog da Coluna Babel, uma matéria em que afirma que a prefeitura de São Paulo prevê investir R$ 1 milhão na compra de livros para as suas bibliotecas. Ainda segundo a apuração do blog capitaneado por Maria Fernanda Rodrigues, em 2017 a prefeitura já investiu R$ 535 mil na compra de 23.266 exemplares.

André Sturm, secretário de Cultura de São Paulo | © Silvia Masini

André Sturm (na foto ao lado), secretário da Cultura do município, disse à jornalista que a prefeitura alterou as políticas de compras, eliminando da negociação a figura dos distribuidores: “negociamos direto com as editoras (...) com isso, conseguimos reduzir muito o preço dos livros. Compramos melhor e mais. Foi condição para fecharmos negócio ter pelo menos 50% de desconto”. Esse modelo de negociação desagradou a muitos editores. Em maio passado, Rejane Dias, diretora da Autêntica, por exemplo, já tinha dito ao PublishNews que isso é um desrespeito à cadeia do livro. Aos descontentes, o secretário disse: “50% de desconto não é favor.

Elas [as editoras] dão 50% sobre o preço de capa para todas as livrarias, até mais”. O secretário ainda questionou: “afinal de contas, a livraria, que é um lugar comercial, que objetiva o lucro, e eu não tenho nada contra, recebe esse desconto por que as bibliotecas públicas, um lugar que forma leitor, não poderiam receber o mesmo desconto praticado no mercado?”. 

 

Comente através do facebook:
ENQUETE »

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2017 ::