Boa tarde, Terça-Feira, 19 de Março de 2019
DEU CERTO
"Meu filho está curado", comemora a mãe de garoto de Cuiabá que derrotou o câncer
Os ossos dele estavam como os de um idoso, com osteoporose.
04/01/2019 - 10h20 - Fonte: RDnews

Quando Andrey Furtado Pescador, de Cuiabá, tinha 14 anos, foi diagnosticado com leucemia, que é câncer no sangue. Isso em pleno início de adolescência. Na época de tensos conflitos, teve que lidar com mais esta angústia. Chegou a ficar internado em isolamento, muito mal, magro, fraco, perdeu todos os cabelos, nas quimioterapias, e correu risco de vida. Passados 8 anos, sendo 3 de tratamento e 5 de acompanhamento, para alegria dos familiares e amigos, acaba de ter alta definitiva e, de acordo com o protocolo da enfermidade, está curado. Aos 21 anos, fazendo faculdade de Direito e namorando sério pela primeira vez, já sonha, com mais tranquilidade, e projeta só coisas boas para o futuro.

Andrey Furtado Pescador, atualmente, com jeito de universitário, ao lado da mãe Ãngela, e a lembrança de uma das internações, porém sempre com sorriso, mais forte que a doença

Mãe de Andrey, a servidora pública Ângela Furtado postou no Facebook agradecendo preces e apoios por todo esse tempo recebidos. “Deus na sua infinita misericórdia atendeu nossas orações...Depois de 5 anos, à espera da alta definitiva, meu filho está curado da leucemia”.

Segundo ela, é importante comemorar este momento, porque inclusive dá esperança a outras crianças e adolescentes e seus familiares que estejam neste momento recebendo um diagnóstico positivo para o câncer. “Não é uma sentença de morte, embora o câncer seja uma doença muito agressiva, mas é uma fase muito difícil. Faça tudo que for recomendado, certinho, alimentação saudável, regras, dê amor e afeto, eu dormia com meu filho, segui às riscas, valeu a pena”, recomenda.

A doença pegou Andrey de jeito, da noite para o dia. Do nada, começou a ter febres e dores intensas na bacia e nas pernas. Manchas roxas a princípio foram atribuídas às divididas no futebol, sua grande paixão. Foi parar no hospital muitas vezes, mas sempre voltava para casa como se tivesse só uma virose. Até que em uma madrugada de outubro, em 2012, a mãe exigiu do médico plantonista - após ouvir mais um diagnóstico de virose - que pedisse exames. O resultado mostrou que ela estava certa de se preocupar. Os ossos dele estavam como os de um idoso, com osteoporose. "A senhora procure urgente um hematologista, a suspeita é de leucemia – disse o médico. Eu não acreditei, mas fomos ao Hospital do Câncer pela manhã. À noite, já ligaram. Venha com seu filho e uma mala de roupas. Foi quando percebi que não era mesmo suspeita em vão, meu filho estava doente e muito doente”, relembra.

Andrey ficou 14 dias internado em estado grave, fez 3 anos de quimio e aos poucos foi se recuperando. No processo de tratamento, perdeu mais de 60 amigos – sim, o número de óbitos é alto mesmo. Viu a morte de perto, mas não se identificou com isso naquele momento. Na verdade viu surgiu uma maturidade incomum na adolescência. Se acalmava, tranquilizava os parentes e os amigos que fizeram no Hospital do Câncer.

 

Não podia ir a festas, nem levar a vida desregrada dos jovens e tinha que ficar maior parte do tempo dentro de casa. Foi isso que mais o incomodou. Fumar, beber, comer carne em excesso, são vícios que não vai poder ter mesmo depois da alta definitiva. Melhor não agredir o corpo, que já desenvolveu células cancerígenas. Todo cuidado é pouco. “Afinal, muitos de nós estamos sujeitos a esta doença e o melhor é cuidar da saúde”, ressalta Ângela.

Nesta quinta, antes de dar entrevista ao , Andrey dormiu até tarde. É férias, não tem problema. Está adorando a faculdade de Direito, uma área que aprendeu a gostar antes do tratamento, quando já ajudava a tia no escritório de advocacia. Ele conta que voltou a jogar bola, está namorando e já sai com amigos. Só não vai mesmo sucumbir à cerveja e ao cigarro, porque já se identifica mais com hábitos saudáveis. “Acostumei com as restrições”.

Ele se sente um abençoado por Deus e ressalta que não ficou somente esperando benfeitorias divinas. “Fizemos nossa parte, tomando todos os cuidados recomendados”, reforça.

Sobre desistir, isso não é com Andrey. “Nunca desanimei não, nem nas fases piores, sempre podemos superar”, ensina ele, deixando uma mensagem de otimismo e força para este ano que se inicia.

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Como você avalia o presidente Bolsonaro?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2019 ::