Bom dia, Terça-Feira, 22 de Maio de 2018
SAÚDE
Prefeito em exercício e vereadores defendem aumento dos atendimentos do Hospital Regional
Faço um apelo para o governo a sua parte, temos óbitos em Sinop por falta de estrutura de atendimento, estamos com um hospital grande parado”.
09/03/2018 - 15h31 - Fonte: Assessoria Prefeitura

O prefeito em exercício de Sinop, Gilson de Oliveira (MDB), e sete vereadores visitaram nesta sexta-feira (9), o Hospital Regional e defenderam o aumento dos atendimentos na unidade. Executivo e Legislativo devem procurar o Governo do Estado para tratar sobre o tema.    

Na tarde de quinta-feira (8), o chefe do executivo e os parlamentares estiveram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), detectaram sobrecarga nos atendimentos e a necessidade do aumento do número de vagas para pacientes no Hospital Regional com o objetivo de possibilitar maior fluidez na gestão de saúde.

“Conversamos com a responsável pelo Hospital Regional, que representa o Instituto Gerir que é a nova gestora da unidade hospitalar, ela nos explicou que a empresa está com um contrato emergencial do fim do ano passado até maio, nesse interim, o Estado deverá fazer novo chamamento para contratar nova empresa que vai fazer gestão do hospital a partir de junho. Estamos preocupados porque a UPA está fazendo de 400 a 500 atendimentos por dia, investimos mais de 34% em saúde no ano passado, e o Estado tem que arcar com sua responsabilidade na média e alta complexidade”, afirmou o prefeito em exercício.

Dos 77 leitos, o Hospital Regional está com 55 operando, segundo informações repassadas ao prefeito em exercício. Em sua avaliação, é preciso rever e aumentar o número de atendimentos previstos no contrato firmado com o Governo do Estado.

“O instituto tem um contrato emergencial para atender um número x de pacientes, fazer o número x de cirurgia, segundo a responsável, já está atendendo a mais, então dá a entender que o Estado fez com que diminuísse o atendimento do Hospital Regional e não vai melhorar os atendimentos se isso não for discutido e debatido para aumentar o atendimento na unidade. Ou seja, o Governo precisa fazer uma nova negociação com a empresa para ampliar o número de leitos disponíveis. A empresa em si está cumprindo o contrato”, considerou.

Acompanhado do presidente da Câmara, Ademir Bortoli (MDB), e dos vereadores Lindomar Guida (MDB), Maria José (MDB), Leonardo Visera (PP), Tonny Lenon (MDB), Joacir Testa (PDT) e Joaninha (MDB), Gilson visitou o Hospital Regional e lembrou do dia anterior, onde esteve na UPA falou da sobrecarga nos atendimentos.

“Estamos de mãos atadas, tivemos na UPA ontem, estamos tentando achar soluções, porque estamos sofrendo com isso na cidade, com cobranças na Prefeitura e na Câmara, com o aval do corpo clínico da UPA que provocaram nossa ida lá, queremos encontrar uma solução para dar a oportunidade de pessoas continuar vivendo. Estamos fazendo a nossa parte, mas não podemos ver isso acontecer sem tomar medidas, vamos buscar os meios legais para achar uma solução porque o município está sobrecarregado, é fato que a UPA está superlotada e nossa estrutura é pequena”, comentou.

Na visita na UPA, foi detectado que 26 pacientes estavam internados na unidade, e o prefeito em exercício foi informado pela responsável que no mesmo momento, 20 pacientes estavam internados no Hospital Regional. “Não estamos conseguindo fazer o atendimento fluir, avançar. A responsável nos disse da possibilidade de Sinop encaminhar pacientes para Colíder e Sorriso, que tem Hospitais Regionais, mas vamos definir com o presidente da Câmara, todos os vereadores, estratégias para poder provocar o Estado para aumentar os atendimentos”.

O presidente da Câmara Municipal afirmou que o Governo do Estado precisa dar condições à instituição contratada. “´Não adianta dar um contrato para prestação de serviço de uma empresa e não dar estrutura, então o que vamos fazer agora é reunir os vereadores, prefeito em exercício e novamente cobrar soluções do Governo e da Secretaria de Estado de Saúde para que saia do contrato de emergência e firme um contrato definitivo para aumentar os atendimentos do regional que atende toda a região”, disse.

Bortoli lembrou também que o Governo do Estado se prontificou a liberar R$ 4 milhões para a construção da segunda UPA em Sinop, na região do São Cristóvão.  “Vamos marcar audiência com o Governo para que essa celeuma acabe”.

Para o líder da prefeitura na Câmara Municipal, Joacir Testa, é preciso aumentar o número de atendimentos do Hospital Regional que tem estrutura para receber os pacientes. “Já tivemos problema parecido no ano passado, mobilizamos com a sociedade, Executivo, Legislativo, fomos ao Estado junto ao governador, ao secretário de Saúde buscar para que resolvessem esse problema nosso, o instituto não trabalha nem com 50% da capacidade atual, enquanto nós não temos onde colocar nossos pacientes. Faço um apelo para o governo a sua parte, temos óbitos em Sinop por falta de estrutura de atendimento, estamos com um hospital grande parado”.

Na visita a UPA nesta quinta-feira, também estiveram presentes o vereador Remídio Kuntz (PR) e o secretário-adjunto de Saúde, Gerson Danzer.  

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Em sua opinião estamos em um momento de crise financeira ou crise politica no Brasil?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::