Boa noite, Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018
PARALISAÇÃO
Sem transporte, mais de 1 milhão de ovos foram eliminados
Devido o movimento dos caminhoneiros, granjas ficaram superlotadas e animais sem alimento
02/06/2018 - 19h16 - Fonte: Midia News

 

Em razão da paralisação dos caminhoneiros, cerca de 1,1 milhão de ovos fecundados de galinha tiveram que ser destruídos para evitar um caos maior nas granjas de Mato Grosso.

Isso é o que revela tum recho do relatório do Comitê de Crise de Mato Grosso publicado na noite desta quinta-feira (31). O comitê foi criado para monitorar os efeitos da greve.

Com o protesto, que começou no dia 21 de maio e estendeu por 10 dias, o setor de aves estima um prejuízo de R$ 8 milhões. Cerca de 2,1 milhões animais deixaram de ser abatidos diariamente no Estado.

De acordo com o secretário-executivo da Associação Mato-grossense de Avicultura (Amav), Lindomar Rodrigues, houve um trabalho para a reduzir a produção no setor. 

“O nosso prejuízo, tirando os abates da BRF [maior abatedor de carnes de Mato Grosso], está em R$ 8 milhões, entre morte e estoques parados. Em Tangará da Serra [240 km de Cuiabá], eu tive que destruir 6 mil ovos e abater 260 mil pintinhos”.

As cargas de carne já começaram a ser novamente distribuídas, no entanto a produção de ovos teve que ser paralisada.

“Estamos com a produção de ovos 100% parada. Quem não consumiu nesses 7 dias não vai consumir dobrado daqui para frente. Então freamos a produção. E as galinhas poedeiras demorarão 15 dias para voltar a produção normal”, explicou Rodrigues.

Conforme informações da associação, cerca de 22 milhões de aves são abatidas mensalmente no Estado, em cinco frigorificos. Esses estão distribuídos nas cidades de Tangará da Serra, Lucas do Rio Verde, Nova Marilândia, Nova Mutum e Sorriso.

Frigoríficos

Os frigoríficos do Estado ficaram ao menos seis dias sem abater nenhum tipo de animal.

Dentre as ações realizadas pelo Comitê de Crise, o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) permitiu que o produtor pudesse renovar a Guia de Transito de Animais (GTA) que não foi utilizada durante a paralisação.

O governo ainda apresentou alteração na lei 6.338 que vai abrir aos frigoríficos de Mato Grosso a possibilidade de adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi). Com isso, o frigorifico passa a ter oportunidade de comercializar a produção com outros Estados.

A expectativa é que os abates começariam a ser realizados nesta sexta-feira (1).

Comente através do facebook:
ENQUETE »
Em sua opinião estamos em um momento de crise financeira ou crise politica no Brasil?

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::