Boa noite, Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
COBRANDO
Conselho da Mulher cobra dados sobre atendimentos em Mato Grosso
Para a presidente do CEDM, que enquanto procuradora já atuou na defesa do Estado na Saúde, especialmente nos casos de câncer o diagnóstico precoce é fundamental para a cura
31/10/2018 - 10h27 - Fonte: 24 horas news

O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM) solicitou da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) dados a respeito da fila de espera de mulheres para tratamentos de combate ao câncer de mama. O documento foi encaminhado pela presidente do Conselho, a procuradora Glaucia Amaral, ao titular da pasta, o secretário Luiz Soares.

 Entre as informações solicitadas estão a quantidade de mulheres que aguardam regulação para realizar exames de ultrassonografia de mama e mamografia; o tempo médio para a realização dos exames e, em casos positivos, para o início do tratamento; número de procedimentos realizados entre janeiro e outubro do ano passado; e quais as medidas a serem adotadas para o acesso a estes serviços, evitando diagnósticos tardios.

 No ofício, Glaucia destacou que o CEDM tem como finalidade a promoção de políticas que visem eliminar a discriminação da mulher, assegurando condições de liberdade e igualdade de direitos, além da plena participação nas atividades políticas, econômicas e culturais do Estado. Ela lembrou que um primeiro ofício foi encaminhado à SES em outubro do ano passado, pedindo as mesmas informações, sem que, contudo, houvesse resposta.

 Órgão governamental, o colegiado é formado por entidades privadas e representantes de diversos órgãos públicos, como o Ministério Público Estadual, Polícia Civil e Defensoria Pública. Junto com Glaucia, que há vários anos milita em defesa da mulher, foram escolhidas como vice-presidente Adriana Catelli Corrêa, representando o MT MAMMA e como secretária Margarethe Alves Nunes Dias, da BPW.

 Para a presidente do CEDM, que enquanto procuradora já atuou na defesa do Estado na Saúde, especialmente nos casos de câncer o diagnóstico precoce é fundamental para a cura. "Além disso, medidas de prevenção de doenças cujo tratamento é extremamente oneroso aos cofres públicos, geram economia para o Estado e menor sofrimento às cidadãs", pontuou.

Comente através do facebook:
ENQUETE »

FOTO NOTÍCIA
:: MT24Horas - Todos os direitos Reservados - Copyright 2018 ::